menu
Santa Cecília do Pavão - PR. | Whatsapp: 4391376555
Nick Azevedo
Santa Cecília do Pavão - PR
SAÚDE
SAÚDE
SAÚDE
SAÚDE
Postada em 26/01/2017 ás 07h43 - atualizada em 26/01/2017 ás 07h43
SAÚDE - Seis municípios da região têm alto risco de infestação e Assaí esta entre eles
Índice chega a 8% em Tamarana; levantamento da 17ª Regional mostra também que 14 cidades estão com risco médio
SAÚDE - Seis municípios da região têm alto risco de infestação e Assaí esta entre eles

Folha Arte

Seis dos 21 municípios pertencentes à área da 17ª Regional de Saúde apresentam situação de alto risco de infestação por Aedes aegypti, transmissor de dengue, arboviroses e febre-amarela urbana. A informação foi divulgada pelo diretor de Vigilância em Saúde da Regional, José Carlos Moraes, que pede que a população se envolva mais no trabalho de conscientização e de eliminação de focos do mosquito. 

Segundo Moraes, os municípios são: Tamarana (8,03%); Guaraci (7,5%); Mirasselva (6,8%); Bela Vista do Paraíso (6,5%), Assaí (5,75%) e Florestópolis (5,4%). Ele acrescentou que os municípios que apresentam médio risco e estão em estado de alerta são: Cafeara (4,9%); Pitangueiras (4,9%); Lupionópolis (4,62%); Londrina (4,1%); Porecatu (4,1%); Centenário do Sul (3%); Rolândia (3%); Sertanópolis (3%); Jaguapitã (2,9%); Jataizinho (2,1%); Alvorada do Sul (2%); Ibiporã (2%); Cambé (1,7%) e Prado Ferreira (1,2%). O município de Primeiro de Maio ainda está com o processo de levantamento em andamento. 

"Esse índice de infestação é muito importante. Não tem nenhum município abaixo de 1% desde agosto de 2016, que é o máximo tolerável pela Organização Mundial de Saúde", apontou Moraes, ressaltando que nesta estação a circulação viral coincide com a proliferação do mosquito, que encontra no calor e na chuva em abundância o ambiente ideal para formar cada vez mais criadouros. Ele observou que cada morador tem que fazer a sua parte, realizando a checagem constante em suas casas. "Não basta o poder público trabalhar, a população tem que colaborar, pois o índice de reinfestação é grande e o poder público não tem como estar na casa da pessoa o tempo todo", advertiu. 

Na quarta-feira (25) Moraes foi ao município de Guaraci para discutir o problema na Câmara de Vereadores. "Estamos fazendo concentração de agentes de endemias e agentes comunitários de saúde para realizar a visitação domiciliar dos imóveis e identificar e remover eventuais criadouros. A Regional está apoiando a mobilização intensa da população", apontou. 

O diretor de Vigilância ressaltou que o Estado mantém a campanha entre os municípios, denominada "Toda sexta sem dengue", em que há uma intensificação de controle para eliminar os criadouros. "Aqui no Estado também existe a lei que criou o dia D de combate a dengue, que acontece todo dia nove de cada mês. Todos os municípios realizam uma mobilização social para eliminar os criadouros do mosquito", apontou.



VACINA 

Moraes fez um apelo para que a população se envolva mais nesse controle. "Se perdermos o controle da proliferação do mosquito, o risco de epidemia está posto", advertiu. 

Ele pediu também para que a população se atente para a campanha de vacinação contra a dengue, que começa no dia 3 de fevereiro e segue até o dia 31 de março. "Esse será o período de aplicação da segunda dose da vacina, mas quem estiver na faixa etária com direito à vacina e não aplicou a primeira dose, também terá o direito", apontou. 

O recado é dirigido especialmente para a faixa etária entre 15 e 27 anos, cuja procura nas unidades básicas de saúde ficou abaixo do esperado em 2016, durante a primeira fase de vacinação. "É uma faixa etária economicamente ativa e que não tem muito tempo disponível, pois trabalha e estuda", apontou. Ele acrescentou que muitos deles, por não estarem doentes, acabam ignorando o apelo de vacinação, mas que se todos fossem imunizados reduziria o número de óbitos decorrentes da doença. "Trata-se de uma faixa etária que se desloca por toda a cidade e se 30% deles forem imunizados, 70% da população serão beneficiados. Por este motivo temos insistido no tema nas escolas, pois se eles estiverem vacinados, não transmitirão a doença para os professores e para os demais funcionários que estão fora da faixa etária, por exemplo", destacou. Ele apontou que este ano a 17ª Regional de Saúde irá estabelecer uma parceria com o Núcleo Regional de Educação, com as universidades e escolas técnicas. 

A campanha de imunização será realizada em 30 municípios paranaenses. Na região da 17ªRS são 8 municípios: Londrina, Cambé, Ibiporã, Sertanópolis, Jataizinho, Assaí, Bela Vista do Paraíso e Porecatu. Em Assaí a faixa etária abrangida é maior – de 9 a 45 anos.



Vítor Ogawa

Reportagem Local


leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Enquete
Qual sua expectativa em relação ao novo(a) prefeito(a)?

Péssima
45 votos - 33.6%

Ótima
45 votos - 33.6%

Mais ou menos
44 votos - 32.8%

facebook
twitter
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium